ZUMBIDOS DO SISTEMA PARA-AUDITIVO- RESUMO

No segundo post falei sobre zumbido e as causas auditivas de zumbido. Neste, falo das causas para-auditivas de zumbido, ou seja, do zumbido que não é gerado na orelha e sim nas estruturas adjacentes a ela. 

Este é um post de leitura rápida, mas se você deseja uma explicação mais completa, leia este post.

O zumbido  para-auditivo é aquele gerado nas estruturas adjacentes a orelha média.  São menos comuns, cerca de 20% do total, mas em geral tem causa identificável e tratável,  por isso é importante sua suspeita e diagnóstico corretos. Produzem, em geral, zumbidos rítmicos ou pulsáteis. 

Seguem as estruturas para-auditivas mais relacionadas a zumbido:

1- Tuba auditiva: tubo que liga a orelha média ao nariz e equilibra a pressão entre eles. Normalmente fica fechada e se abre em ocasiões especiais (deglutição, bocejo, abertura da boca). Costuma gerar sensação de ouvido entupido quando nariz está inflamado (resfriado, sinusite, rinite), o que chamamos de disfunção da tuba auditiva. O tratamento é de acordo com a causa nasal.  Também pode gerar sensação de ouvido muito aberto ou de ventania, o que chamamos de tuba patente. Comum nos casos de emagrecimento rápido e acentuado. Essa condição costuma resolver-se espontaneamente. 

2- Músculos da orelha média (músculo estapédio ou tensor do tímpano) e do palato (céu da boca): mioclonias, ou seja, contrações involuntárias e  repetitivas desses músculos podem causar zumbido tipo clique ou estalido ou bater de asas, rítmico, uni ou bilateral, às vezes objetivo (outra pessoa consegue escutar), às vezes evocados por sons específicos. É importante pesquisar causas neurológicas que expliquem este sintoma. Quando não há, o tratamento é com drogas (anticonvulsivantes, relaxantes musculares, ansiolíticos) ou cirurgia ou aplicação de toxina botulínica no local.

3- Articulação temporo-mandibular: articulação que promove abertura da boca. Pode causar zumbido tipo clique ou estalos, dor local, e sensação de ouvido entupido quando está desgastada, inflamada ou nos casos de bruxismo. O tratamento é com odontologista especializado.

4- Estruturas vasculares da orelha, principalmente veia jugular e artéria carótida. Alterações do tipo mal formação da própria artéria/veia ou das estruturas que as separam da orelha, ou entupimento por placa de colesterol, ou tumores, gera zumbido do tipo pulsátil, na mesma frequência do batimento cardíaco.

Dra Kênia Assis Chaves

CRM MG 52018

RQE 3307

Quer agendar uma consulta? Acesse nossa página de agendamento

Posts recentes

TODO ZUMBIDO É SURDEZ?

Quem me acompanha aqui já sabe que NÃO! É fato que para o zumbido começar, tem que ter alguma lesão ou alteração do funcionamento da

Ler mais »

Entre em contato:

Local de Atendimento

Endereço: Consultório, Rua Professor Benjamin Coluci 100, Juiz de Fora

Telefones: (32) 3215-7064 ou (32) 3313-6007

Whatsapp: (32) 99118-5055