Sabe aquele o incômodo nos ouvidos quando voltamos de uma festa barulhenta? Muitas vezes, é temporário, e depois de uma noite de sono já não sentimos mais nada. Parece normal e comum, mas na verdade pode induzir efeitos permanentes nos nossos ouvidos, principalmente perda auditiva e zumbido. Neste post, vou falar sobre o trauma acústico, essencialmente suas causas, seu efeitos, seu tratamento e sua prevenção. Se você quiser um texto mais rápido, clique aqui.

CONCEITO

Trauma acústico é o nome dado para as lesões da orelha produzidas por ruídos muito intensos (acima de 140db), que podem ser súbitos (arma de fogo, fogos de artifício) ou contínuos (balada, caixa de som, shows, máquinas). 

O trauma acústico provoca morte (apoptose) das células auditivas, através dos seguintes mecanismos: destruição mecânica dos cílios e das células ciliadas, isquemia, excesso de liberação de glutamato e radicais livres e aumento excessivo do fluxo de cálcio e potássio. 

Quanto maior a intensidade do ruído e  a duração da exposição, mais deletérios serão seus efeitos.Os sons graves tendem a produzir menor grau de lesão que os agudos. Quanto maior a intensidade do som, mais graves serão as lesões auditivas.

SINTOMAS

Após o trauma os sintomas mais comuns são perda auditiva, zumbido, problemas de discriminação sonora (escuta, mas não entende) e estresse psicológico.

A perda auditiva pode ser temporária , chamada de fadiga auditiva, de duração de 2min a 16h, ou permanente.

O zumbido é o sintoma mais importante, geralmente assimétrico, de timbre agudo e não pulsátil. Também pode ser temporário ou permanente.

A dor de ouvido normalmente é  imediata e auto-limitada.

Outros sintomas menos frequentes são hiperacusia dolorosa, instabilidade, cefaléia e tensão muscular.

CONSULTA E EXAMES

No exame físico, a membrana timpânica pode estar normal, com hiperemia ao redor do cabo do martelo, ou com perfuração. 

A audiometria em geral mostra perda auditiva em agudos, com configuração em entalhe ou gota (perda auditiva mais pronunciada em 4Khz). Essa alteração pode ser permanente ou temporária.

Figura 1- Audiometria típica de trauma acústico

O teste de emissões otoacústicas pode ajudar no prognóstico, já que quando positivo indica uma chance maior de recuperação auditiva. 

Quanto maior a perda auditiva inicial e menor for a recuperação mais primeiras 72h, piores são as chances de recuperação auditiva.

TRATAMENT0

É de extrema importância que o tratamento seja iniciado o mais breve possível, com medicações prescritas pelo otorrinolaringologista, principalmente os corticóides e vasodilatadores. Muitas vezes é necessário internação hospitalar. Quanto mais rápido for iniciado o tratamento, maiores as chances de recuperação.

PREVENÇÃO

É essencial evitar exposição a ruídos intensos e, quando isso não for possível, usar protetores auditivos adequados para cada situação. Os tampões com atenuação ativa ou cancelamento de ruído vêm ganhando popularidade, já que protegem mais o ouvido, mas permitem a comunicação e funcionalidade do indivíduo.

Médica Otorrinolaringologista

CRMMG 52018

RQE 33072

Quer agendar uma consulta? Acesse nossa página de agendamento

Posts recentes

TODO ZUMBIDO É SURDEZ?

Quem me acompanha aqui já sabe que NÃO! É fato que para o zumbido começar, tem que ter alguma lesão ou alteração do funcionamento da

Ler mais »

Entre em contato:

Local de Atendimento

Endereço: Consultório, Rua Professor Benjamin Coluci 100, Juiz de Fora

Telefones: (32) 3215-7064 ou (32) 3313-6007

Whatsapp: (32) 99118-5055